• Italiano
  • Français
  • English
  • Português

O QUE FAZEMOS

No na cuida de no vida, Mindjer

Projeto implementado com mais 4 parceiros: Mani-tese, FEC-Fundação Fé e Cooperação, RA – Rede Ajuda e GEOG, e co-financiado pela União Europeia para promover e garantir os direitos das meninas e mulheres na Guiné-Bissau.O projeto prevê atividades para por um lado prevenir a violência de género através de um trabalho sistémico de sensibilização e promoção da autonomia socioeconómica de mulheres e, por outro lado, melhorar o acesso a denúncia, a resposta de acolhimento e a reinserção das vítimas de violência de género.

A ENGIM está ativamente comprometida com a componente da reinserção das vítimas de violência de género, através da adaptação do currículo de cursos técnicos a esta situação, do financiamento de empreendedoras e da criação de uma agência de trabalho direccionada às mulheres guineneses.

Cronograma do projeto

Fevereiro de 2018
Outubro de 2018
Junho de 2019
Novembro 2019
Fevereiro 2021
Arranque do projeto
Arranque da primeira edição do Curso de Hotelaria e Gestão Domestica direccionado a 40 alunas e alunos identificadas como potencialmente em situação de risco
Formação de empreendedorismo a 17 participantes e atribuição de subvenções para financiamento das 4 melhores ideias de negócio
Arranque da primeira edição do Curso de Hotelaria e Gestão Domestica direccionado a 40 alunas identificadas como potencialmente em situação de risco
Encerramento do projeto
previous arrow
next arrow
Slider

Início do projeto: Fevereiro de 2018
Fecho do projeto: Janeiro 2021
Lugares de intervenção: Bissau – Guinea Bissau
Custo total do projeto: 886.390 EUR
Líder do projeto: ENGIM
Parceiros: Mani Tese, FEC, RA, GEOJ

Geração De Talentos

Na Guiné-Bissau, estima-se que cerca de 30% dos jovens estejam desempregados (DENARP II, 2011). Além disso, o mercado de trabalho tem sérias dificuldades estruturais, como o reduzido número de pequenas e médias empresas (PME), uma fraca interligação entre centros de formação e empresas e a reduzida capacidade de absorção de jovens recém-formados no mercado de trabalho.

Por esta razão, o Projecto “Geração de talentos!”, co-financiado pela União Europeia, ajuda a criar oportunidades de emprego para jovens na Guiné-Bissau, aumentando a capacidade da escola CIFAP em Bissau de incluir estudantes no último ano de treinamento.

Através do treinamento, do serviço de colocação profissional e da aceleração de novos negócios, os jovens são apoiados na pesquisa e na criação de empregos

Cronograma do projeto

Março de 2018
Abril de 2018
Maio de 2018
Junho de 2018
Setembro de 2018
Janeiro de 2019
Junho de 2019
Cerimônia de abertura do projeto
Abertura da competição de idéias de negócios
Início do primeiro curso de formação em informática aplicado ao empreendedorismo para 43 alunos
Seleção das 7 melhores ideias de negócios que entrarão no processo de aceleração.
Início do segundo ciclo de informática aplicado ao empreendedorismo para 44 alunos
Início de estágios trimestrais para 37 alunos do CIFAP
Início do novo programa de gestão escolar da CIFAP e da colocação de emprego
Encerramento do projeto
previous arrow
next arrow
Slider

Início do projeto: Janeiro de 2018
Fechadura do projeto: Junho de 2019
Lugares de intervenção: Bissau – Guinea Bissau
Custo total do projeto: 177.820,00€
Líder do projeto: ENGIM
Parceiros: Congregação dos Josefinos do Murialdo

Bo fia, bo pudi!

O projeto “Bo fia, bo pudi!”, cofinanciado pela União Europeia, visa reduzir o nível de desemprego na Guiné-Bissau, contribuindo para o desenvolvimento de oportunidades de emprego, especialmente para os jovens.

Foi reforçada a incubadora de empresas ENGIM-CIFAP em Bissau, que iniciou 23 atividades de jovens empreendedores, acompanhando-os nos primeiros estágios de seu desenvolvimento através de uma equipe de tutores especializados.

Cronograma do projeto

Abril 2015
Entre abril e julho de 2015
Julho 2015
Setembro - novembro 2015
De janeiro 2016
Aviso de concurso
anunciado por rádio e brochura: 1600 solicitações de informações
1041 CANDIDATOS exibidos por uma comissão
100 pré-selecionados para entrevista oral
50 melhores candidatos por motivação, determinação, ideia de mercado, recursos, capacidades
Treinamento e acompanhamento no desenvolvimento do plano de negócio.
Os 23 melhores planos de negócios foram iniciados em start-ups e acompanhados em todas as etapas da realização
previous arrow
next arrow
Slider

Início do projeto: Fevereiro 2015
Fechadura do projeto: Fevereiro 2018
Lugares de intervenção: Bissau – Guinea Bissau
Custo total do projeto: 614.108,31€
Líder do projeto: Congregação dos Josefinos do Murialdo
Parceiros: ENGIM, Mani Tese

Cultura i no balur

O projeto “CULTURA I NÔ BALUR – Uma Estratégia de Educação para a Cultura na Guiné-Bissau – DCI-NSAPVD / 2015 / 371-609” é co-financiado pela União Europeia e visa promover o patrimônio cultural da Guiné-Bissau de uma forma inclusiva e sustentável.

No âmbito deste projeto, que prevê uma ampla gama de intervenções no sistema educacional formal e informal, a Engim terá que colaborar com uma rede de artesãos locais que produzem objetos de valor artístico e cultural e que, com o apoio da equipe do projeto, trabalharão para melhorar os seus produtos. Posteriormente, a incubadora Engim terá a tarefa de acompanhar os jovens artistas para se estruturarem como empresas reais, através de um curso de treinamento de plano de negócios e, depois, com o acompanhamento de tutores especializados. A Engim também promoverá os produtos feitos pelos jovens artistas através de lojas do comércio equitativo.

Cronograma do projeto

De junho 2017
De dezembro 2017
De maio 2018
De setembro 2018
Junho 2019
Maio 2020
Início do treinamento pelos artistas/artesãos sobre as técnicas para melhorar a qualidade dos produtos artesanais
Treinamento pelas associações de artesãos na elaboração do plano de negócios + avviamento
Acompanhamento das novas empresas artísticas + apoio à criação formal da Rede de Artesãos
Comercialização e divulgação dos produtos e materiais de literatura, música e artesanato.
Acompanhamento de 5 empresas de artesanato

Início do projeto: junho de 2016

Encerramento do projeto: maio de 2020

Lugar de intervenção: Guiné-Bissau

Custo total do projeto: 1.163.734,33 €

Líder do projeto: FEC – Fundação Fé e Cooperação

Parceiros: ENGIM, Faculdade de Ciências de Educação da Universidade Católica da Guiné-Bissau, Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, Afectos com Letras, Associação de Escritores da Guiné-Bissau

Labradur de no futuro

O projeto “Labradur de nô futuro: fortalecimento da formação profissional na região de Cacheu”” é co-financiado pela União Europeia e visa melhorar as condições socioeconômicas da população rural da região de Cacheu, na Guiné-Bissau. O projeto prevê uma série de intervenções que visam fortalecer o sistema de formação profissional no setor agrícola e garantir a sustentabilidade do centro profissional CIFAP ​​em Bula, geridos pelos missionários Josefinos de Murialdo. A agricultura é o setor econômico mais importante para o país e a formação profissional dos jovens é uma das prioridades para o desenvolvimento.

Engim intervirá para atualizar o currículo do curso de agricultura de acordo com o Ministério da Educação e ajudará a abrir uma nova empresa ligada ao centro profissional CIFAP. Uma empresa educacional e experimental onde os mesmos alunos poderão trabalhar através de estágios curriculares e oferecerá serviços de consultoria para experimentos no mundo da agricultura orgânica.

A incubadora Engim também lançará um novo anúncio para selecionar novas idéias de negócios no campo agrícola. Os melhores jovens empresários poderão beneficiar de vantagem financeira para aumentar seus negócios.

Cronograma do projeto

De novembro 2017
De maio - junho 2018
De agosto 2018
De outubro 2018
Novembro 2019
Richiedere data
2022
Início do projeto + recrutamento de pessoal e início das obras estruturais para o CIFAP de Bula para implementar novas atividades produtivas
Estágio alunos CIFAP ultimo ano + atividade de lobbying institucional para o reconhecimento escola secundária técnica + cursos de atualizações professores CIFAP + treinamento tutor empresa
Seleção novas ideias empresariais + início e acompanhamento novas empresas
início novo curso para técnicos agrícolas
Curso de empreendedorismo com 31 participantes das regiões de Cacheu e Oio
Início atividades experimentais em horticultura
23780237978_d8ba075df8_k

Início do projeto: Novembro 2017

Encerramento do projeto: Outubro 2022

Lugar de intervenção: Guiné-Bissau

Custo total do projeto: 488.865 €

Líder do projeto: ENGIM

Parceiro: Congregação dos Josefinos de Murialdo

Migrações e empreendedorismo

PROTEJA – Projet pour le travail et l’emploi des jeunes africains
O objetivo de PROTEJA era contribuir à redução da exclusão social e econômica dos jovens mulheres e homens, potenciais migrantes para no Mali e na Guiné-Bissau, ou pessoas deslocadas e refugiados envolvidos na fase de trânsito ou retorno no norte do Mali, promovendo o emprego e empreendedorismo como fator de integração social e econômica.
PROTEJA foi desenvolvida em colaboração com incubadoras ENGIMCIFAP em Bissau e CREATEAM no Mali.
Em geral:
15 empresários formados em Kita, de quem 12 mulheres,
20 em Mopti, de quem 12 mulheres e 11 migrantes de regresso,
37 em Bissau, de quem 10 mulheres.
Por um total de 72 empreendedores (34 mulheres) .
Os empreendedores financiados ou selecionados pelo financiamento são:
9 em Kita, de quem 4 mulheres,
10 em Mopti, de quem 5 mulheres e 4 migrantes de retorno,
9 em Bissau.
Por um total de 28 empresas.

A empresa de quem parte, a empresa de quem fica: 8 jornalistas malineses, guineenses e italianos contaram as raízes de escolhas diferentes que levaram homens e mulheres a optarem por migrar ou ficar em seu próprio país.
Com a participação de jornalistas malineses e guineenses, contámos histórias de migração, retornos e sucessos relacionados à capacidade de fazer negócios.
O conto envolveu migrantes na Itália e migrantes potenciais no Mali ou na Guiné-Bissau, migrantes que retornam ao seus países de origem ou pessoas deslocadas que gostariam de retornar às suas aldeias, mas também aos muitos jovens que trabalhando todos os dias tentam construir um futuro em casa.
Os meios de comunicação locais e europeus e os jornalistas dos dois continentes participaram na tentativa de oferecer histórias de diferentes pontos de vista.

Jornalistas Trailer

Início do projeto: Outono 2016
Duração: 9 meses
Lugares de intervenção: Mali e Guiné-Bissau
Custo total do projeto: 429.716,31€
Parceiros e apoiantes

  • na Itália: Ministero dell’Interno, Regione Piemonte, Camera di Commercio di Torino (in attesa di conferma), Associazione di Studenti e Lavoratori Maliani in Piemonte;
  • no Mali: Ministère de l’emploi et de la fonctionpublique (in attesa di conferma), Regione di Mopti, Cercle di Kita, Préfet di Kita, Orange Mali, OIM Mali (in attesa di conferma), CREATEAM, EcoleTechnique Saint Joseph de Sévaré, Académie de Kita;
  • na Guiné-Bissau: Direcçao Regional do Sector autonomo de Bissau, Centro Formalizaçao de Empresa, CIFAP

L’obiettivo di PROTEJA è contribuire alla riduzione dell’esclusione sociale ed economica di giovani donne e uomini, potenziali migranti in Mali e Guinea Bissau, o sfollati e rifugiati coinvolti nelle fase di transito o ritorno nel nord del Mali, promuovendo l’occupazione e l’imprenditorialità come fattore di integrazione sociale ed economica.
A Bissau PROTEJA è stato sviluppato in collaborazione con l’incubatore ENGIM-CIFAP, e sostiene 8 imprese a Bissau e Bula.
In Mali PROTEJA sostiene 20 imprese nelle regioni di Mopti e Kayes, con il supporto del partner tecnico CREATEAM, incubatore di Bamako lanciato da Orange Mali.

Janeiro 2017
Fevereiro 2017
Fevereiro - Março 2017
Richiedere data
aviso de concurso anunciado por rádio REQUISITO: empresas que começaram actividade à pelo menos 6 meses
Exibidos pela comissão:
Mali 459
Guiné bissau 131
Selecionados pela formacao:
Mali 35
Guiné Bissau 21.
Treinamento ad hoc na incubadora ENGIM-CIFAP em Bissau e CREATEM em Bamako e acompanhamento no desenvolvimento do Plano de Negócios
Comunicazione e informazione efficace:
campagna informativa sul tema migrazione da parte di un gruppo di giornalisti locali e uno italiano

GUINENDADI

“Guinendadi – histórias de revolução e desenvolvimento em Guiné Bissau” é uma reportagem promovida pela ENGIM e produzida por um grupo de jornalistas italianos que conta um país africano – a Guiné-Bissau – indo além das temáticas comuns quais colonização, golpes militares, instabilidade política, tráfico de cocaína, turismo sexual e o dramático nível de pobreza. Mas através de textos, fotos e vídeos que foram recolhidos durante uma viagem, é possível descobrir um país distante e desconhecido.

São apresentadas as vozes e as histórias das pessoas que nos setores econômico, cultural, social, artístico e político se mobilizam para encontrar soluções locais e traçar um caminho para o desenvolvimento nativo.

Guinendadi ganhou o primeiro prêmio como Melhor Reportagem feito no Piemonte, o segundo prêmio como Melhor Reportagem realizado a nível internacional (Itália, França e Espanha) e o primeiro prêmio como Melhor Reportagem escolhido pela Audiência Internacional entre as 18 reportagens financiadas pelo Bando DevReporter Grant em 2016.

Guinendadi